Coletiva DESORDEM | Baró + Emma Thomas

de 26.07 a 25.08.16, na Baró Galpão

Qual ordem interessa? O que há de organizado e bem instalado em nossas latitudes hoje? Nada parece ter sustentação possível, o equilíbrio dos dias acontece em corda frouxa, a perna trêmula, a visão turva, a vidraça quebrada, a cortina e o varal se debatendo com o vento, um muro que cai, as contas disparatadas, a sinalização desarrumada, a política nos pregando peça, sempre. Uma coisa é pôr idéias arranjadas, outra é lidar com país de pessoas, dizia Guimarães Rosa. E diria ainda, há quem não arruma por não querer as coisas arranjadas.

Pois a desarrumação pode ser uma forma de ordem, já que arrumar pode ser desordenar. Basta folhear livro de enciclopédia ou poesia pra perceber que em uma forma semântica expandida, a desordem não é a falta de ordem, mas a negação da ordem. Uma anti-ordem, uma outra forma possível de ordem, não imposta, mas que se estrutura em meio às aparencias do desordenado, organicamente, diriam uns. E há também a confusão dos olhos do outro, que encontram desordem onde as coisas estão como estão.

Em meio a uma crise inédita de representação, quando não mais confiamos ao outro tanto os nossos anseios mais particulares como aqueles mais distribuídos, quando as formas típicas de ordenação parecem não mais funcionar, há que se questionar a própria ordem.  Diante da conspiração objetiva da ordem das coisas, percebemos um conspiração difusa, com a qual nos identificamos. Tendemos à desobediência?

Pois há a ordem que indica poder, estabelecida por aquele que instaura os valores, as verdades e as regras. A desordem evidência a fragilidade do sistema imposto, demonstra pelo deslocar mínimo que a ordenação é um ponto de vista de uma pessoa e seu grupo de seguidores. A ordem é frágil, a desordem resistência.

Então seria viável voltar a acreditar que estaremos nos preparando para sairmos de uma condição de amotinados e pensarmos nas transformações que importam…

Lucas Bambozzi

Almandrade | Courtney Smith | David Medalla | Eduardo Stupia | Elena Damiani | Hugo Frasa | Iván Navarro | Ivan Padovani | Jonas Arrabal | Júlia Milward | Lourival Cuquinha | Lucas Bambozzi | Lucas Simões | Moris | Ramonn Vieitez | Ricardo Alcaide | Susana Bastos | Victor Leguy

“DESORDEM”, Baró + Emma Thomas @ Baró Galeria
Abertura: 23 de julho, das 12h00 às 15h00
Período expositivo: 26 de julho a 25 de agosto
Horário de funcionamento: de terça a sexta-feira, das 10h00 às 19h00; sábado, das 11h00 às 16h00
Rua Barra Funda, 216 – Santa Cecília – São Paulo – SP
Entrada livre/ franca

 

www.barogaleria.com / www.emmathomas.com.br

ARTISTS

OBRAS

Vista da exposição “DESORDEM”, na Baró Galpão

2016

Vista da exposição “DESORDEM”, na Baró Galpão

2016