Amanda Mei

LOADING

Amanda Mei nasceu em São Paulo, Brasil, 1980. Vive e trabalha em São Paulo.

Iniciou sua pesquisa com fotografias, objetos e pinturas que misturam diferentes elementos e tipos de materiais como: madeira, papelão, pedra e concreto. Em sua produção, lida com questões próprias à linguagem escultórica e pictórica através de instalações e site-specifics que incorporam a arquitetura local. Investiga a relação contemporânea entre a natureza e o homem, através dos materiais de descarte/ demolição e as circunstâncias que tencionam a relação entre uma arquitetura projetada e orgânica.

Foi contemplada com o Prêmio Funarte de Arte Contemporânea 2015, o edital Rumos Itaú Cultural, Prêmio Artes Visuais no 17ª Festival Cultura Inglesa, Prêmio para Projetos de Pesquisa e Produção em Artes Plásticas no 48º Salão de Artes Plásticas de Pernambuco, Energisa Artes Visuais em João Pessoa. Também foi residente na Cité Internationale Des Arts, em Paris e Red Bull Station, em São Paulo.  Entre suas exposições individuais, destacam-se: Acordos, desvios ou diálogos (Galeria Flávio de Carvalho, Funarte, SP, 2017), Sobre a demolição da Terra (Arte Hall, SP, 2015), Resíduos, Rastros e Relíquias (Centro Cultural Britânico, SP, 2013), Como fazer tempo com sobras (Galeria TAC, RJ, 2010) e As Sobras e Desconstruções (Caixa Cultural, SP, 2010).

Amanda Mei born in São Paulo, Brazil, 1980. Lives and works in São Paulo.

Began her research with photographs, objects and paintings that mix different elements and types of materials such as: wood, cardboard, stone and concrete. In her production, she deals with issues specific to the sculptural and pictorial language through installations and site-specifics that incorporate local architecture. It investigates the contemporary relationship between nature and man, through the disposal / demolition materials and the circumstances that intend the relationship between a designed and organic architecture.

She was awarded with the Funarte Prize for Contemporary Art 2015, the Rumos Itaú Cultural edict, Visual Arts Award at the 17th Cultura Inglesa Festival, Prize for Research and Production Projects in Plastic Arts at the 48th Plastic Arts Salon in Pernambuco, Energisa Artes Visuais em João Person. He was also a resident at Cité Internationale Des Arts, in Paris and Red Bull Station, in São Paulo. Among his solo exhibitions, the following stand out: Agreements, diversions or dialogues (Galeria Flávio de Carvalho, Funarte, SP, 2017), About the demolition of the Earth (Arte Hall, SP, 2015), Waste, Traces and Relics (British Cultural Center) , SP, 2013), How to make time with leftovers (Galeria TAC, RJ, 2010) and As Sobras e Deconstruções (Caixa Cultural, SP, 2010).