18/09/2018

Roberto Jacoby – Individual no Macro – Museo de arte contemporáneo de Rosario

 

timthumb

Sede Macro
Del 15.09.18 al 04.11.18

Traidores los días que huyeron

Jacoby, Roberto

Curaduría: Farina, Roberto | Villanueva, Santiago

Esculturas, dibujos, pinturas, obra cinética, proyecciones, audios, escritos e instalaciones realizadas desde los años sesenta hasta nuestros días. Producciones inéditas -olvidadas y malditas- de este inigualable artista argentino se mostrarán por primera vez en el Macro.

Colección contemporánea – Dibujo – Escultura – Fotografía – Instalación – Obra sonora – Video

 

Macro

Museo de arte contemporáneo de Rosario

Sede contemporánea
Avenida de la Costa Brig. Estanislao López 2250
(Bv. Oroño y el río Paraná)
2000 Rosario
Tel. (+54 341) 4804981/2

Horarios de visita y admisión
Martes a domingo de 11 a 19 h. Lunes cerrado (excepto los lunes feriados).
Entrada libre y gratuita. Aporte sugerido: $20.

Recorridos acompañados público general
Martes a domingo a las 17 h. No requiere inscripción.

Visitas particulares y visitas para escuelas
Pedir turno a educacion.macro@castagninomacro.org

 

18/09/2018

Lourival Cuquinha na OMA Galeria

Essa semana acontece em São Bernardo do Campo a exposição “Dos Meus Comunistas Cuido Eu” do Lourival Cuquinha, uma parceria da Baró com a OMA , vale a pena conferir! 

 

WhatsApp Image 2018-09-18 at 12.36.51

03/09/2018

Lourival Cuquinha – Transição de Fase – Exposição individual na FUNARTE BH

WhatsApp Image 2018-08-19 at 22.20.24

Cuquinha inaugura exposição inédita em Belo Horizonte

Transição de Fase dialoga com a temática da imigração, a partir do dia 24, sexta, na Funarte MG

 

A nova exposição do artista Lourival CuquinhaTransição de Fase, será inaugurada na sexta (24/8), às 19h, na Funarte MG, no centro de Belo Horizonte. Exposto pela primeira vez, o conjunto dialoga com a temática da imigração; reúne dezenas de obras e uma instalação sonora, criada em parceria com Mariana Lacerda e Muep; e foi contemplado com o Prêmio Funarte Conexão Circulação Artes Visuais (2016). A entrada é franca.

 

No processo de criação do trabalho, durante quatro anos, em várias partes do mundo, o pernambucano Cuquinha encontrou-se com vendedores ambulantes, que vivenciavam situações de imigração. A cada um deles, propôs adquirir mercadorias que eles ofertavam, pagando o dobro do valor cobrado. Em troca, pediu um retrato de cada imigrante. Por fim, imprimiu as imagens sobre materiais como cobre, ou cédulas, com um detalhe: as superfícies tinham o mesmo valor do custo dos produtos negociados.

 

Assim, pode-se conhecer, na mostra, enfileirados ao lado de suas mercadorias, o ambulante jamaicano que vende bandeiras de países em Londres; a boliviana que oferece meias infantis nas ruas de São Paulo, enquanto carrega o próprio filho amarrado ao corpo; e o retirado da Costa do Marfim, que comercializa miniaturas chinesas da Torre Eiffel, em Paris (FR).

 

Na abertura da exposição, mercadores de diversos países serão convidados a ocupar o espaço expositivo e nele negociar sua mercadoria com o público. Cuquinha explica que “Transição de Fase” é um termo da física, que retrata a mudança do sólido ao líquido, ou do líquido ao gasoso. “Dentro da exposição, porém, abrange mais: é partir de um território familiar e conhecido para um território novo não-doméstico”, diz o artista, que viveu a condição de imigrante no Reino Unido, por cinco anos.

 

Já a peça sonora, concebida em parceria com os artistas Mariana Lacerda e Muep, é composta por trechos de entrevistas com alguns dos imigrantes retratados na pesquisa. “O registro sonoro foca especialmente em uma imigrante do Congo, Hortense Mbuyi Mwanza, que narra a vivência de refugiada política e cuja história também estará narrada no catálogo”, adianta Cuquinha.

 

Um programa educativo ligado ao projeto é coordenado por Carolina Santana, também artista visual e educadora, do núcleo criativo Malacaxeta, baseado em Belo Horizonte. Nessa atividade, ao longo do período de exibição das obras, o público será convidado a enviar cartões postais para a África, endereçados a familiares de imigrantes, hoje moradores da capital mineira. A correspondência será respondida. É possível agendar visitas mediadas através do e-mail educativomalacaxeta@gmail.com.

 

A exposição Transição de fase chega a Minas Gerais com produção executiva de Marcelo Calheiros. A mostra segue em exibição até o dia 7/10.

 

O ARTISTA

Lourival Cuquinha nasceu no Recife (PE), em 1975. Já expôs em nações como Indonésia, Alemanha, Inglaterra, Holanda, França, Estados Unidos, Cuba, Bélgica e Espanha, entre outras. Seus trabalhos integram coleções de instituições como o Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM SP), na capital paulista; a Coleção de Arte da Cidade de São Paulo (CCSP); e o Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (Recife). Obras suas figuram em coleções privadas em diversos países.

 

SERVIÇO

Transição de Fase - exposição de Lourival Cuquinha

Entrada franca

Inauguração: 24/8/2018 (sexta-feira), às 19h

Visitação: até 7/10/2018, de quarta a domingo, das 14h às 21h

Classificação etária: livre

Local: Funarte MG (rua Januária, 68, centro, Belo Horizonte)

Agendamentos educativos: educativomalacaxeta@gmail.com.

Mais informações:  tels. (31) 3213 3084 (31) 3213 7112; email: funartemg@funarte.gov.br

 

Este projeto foi contemplado no Edital Prêmio Funarte Conexão Circulação Artes Visuais (2016).


ENTREVISTAS E IMAGENS

Tatiana Diniz // Assessoria de Imprensa e Gestão de Redes Sociais

(11) 953839717 // imprensatransicaodefase@gmail.com

30/11/2017

Túlio Pinto em nova exposição individual e duas exposições coletivas.

Ground Control – Exposição individual / Solo Exhibition
(Humo Gallery – Zurique / Zurich)

Segundo o curador independente Munir Klamt, o termo antitético parece ser o mais apropriado para definir “Ground Control” – primeira exposição individual do artista no país e terceira no exterior (Onloaded: Túlio Pinto, Phoenix EUA, 2005 e Do acúmulo à saturação, Porto, Portugal, 2005). Diz Kalamt “uma característica bifacetada pode ser observada nas peças. O geométrico e o sem forma (ou a opacidade e a transparência a leveza e o peso) em uma aparente oposição. Ao unirmos estes elementos como parte de um sistema único, as obras se transformam em ideogramas – tal como uma especulação direta e indescritível a respeito do mundo se desdobra perante nossos olhos.” A exposição fica aberta a visitação na Humo Gallery, Zurique/Suiça, até 31/03/2018.

————————————————————————————————————————————————————————————————————————————-

According to independent curator Munir Klamnt, the term antithetical seems to be the most appropriate to define “Ground Control” – the artist’s first solo exhibition in the country and third exhibition abroad (the first being Onloaded: Túlio Pinto, Phoenix EUA, 2005 and the second being “From gathering to saturation” Porto, Portugal, 2005). Kalamt states that “ dual nature could be perceived in the pieces: the geometric and the formless (or the opacity and the transparence; the lightness and the weight), in an apparent opposition. When we put these elements together as an integral part of a single system, the pieces become ideograms – just like an unspeakable direct speculation on the world that unfolds in front of us.” The exhibition is on view at Humo Gallery, Zurich/Switzerland, until the March 31st, 2018.   

Combining Materials – Exposição Coletiva / Group Exhibition

(Rosenfeld Porcini, Londres / London) 

Combining Materials é a segunda exposição coletiva do artista em Londres, UK, e tem a proposta de ilustrar como a justaposição de materiais improváveis responde a experimentos com a forma conduzidos por diferentes artistas contemporâneos. A exposição estará aberta a visitação de 01/12/2017 a 10/02/2018 e também conta com trabalhos de: Jane Bustin, Alice Cattaneo, Leonardo Drew, Felicity Hammond e Keita Miyazaki.

————————————————————————————————————————————————————————————————————————————-

Combining Materials is the artist’s second group exhibition in London, UK, and aims to illustrate how the juxtaposition of unlikely materials responds to experiments with form, conducted by different contemporary artists. The exhibition will be on view from 01/12/2017 to 10/02/2018 and also presents works by Jane Bustin, Alice Cattaneo, Leonardo Drew, Felicity Hammond and Keita Miyazaki.

(more…)

29/11/2017

Toby Christian apresenta “The News”, sua primeira exposição individual na Bulgaria.

1_DSC6785

De 28/10 a 26/11 Toby Christian apresentou “The News”, sua mais recente exposição individual, na galeria Swimming Pool (Sofia, Bulgária). Composta por instalações feitas a partir da reutilização de jornais, a proposta do trabalho surgiu a partir de uma conversa de Christian com dois outros artistas sobre notícias atuais em um restaurante em Liverpool, Inglaterra, na qual os mesmos afirmaram que preferiam não acompanhar os acontecimentos atuais – uma vez que estes costumavam os deixar dez esperançosos com o mundo.

A afirmação levou Christian a refletir sobre a rapidez e efemeridade da informação – o que o remeteu a uma lembrança carinhosa de sua infância, quando sua mãe o ensinou a fazer fogueiras a partir jornais velhos enrolados em formatos de nó.

“The News” foi concebida a partir do intercâmbio de ideias entre o artista, Max Slaven, curador e diretor da David Dale Gallery (Glasgow, Escócia) e Viktoria Draganova, diretor da Swimming Pool (Sofia, Bulgaria)”, marcou a primeira exposição individual do artista no pais e conta com a curadoria da David Dale Gallery (Glasgow).

Para mais informações:

Swimming Pool http://swimmingpoolprojects.org/projects/the-news/
David Dale  http://www.daviddalegallery.co.uk/programme/off-site-news/
Mousse Magazine  http://moussemagazine.it/toby-christian-swimming-pool-sofia-2017/
Art Viewer http://artviewer.org/toby-christian-at-swimming-pool/

=====================================================================================

Toby Christian presents “The News”, his first solo exhibition in Bulgaria.

From the 26th of October to the 26th of November, Toby Christian presented “The News”, his latest solo exhibition, at the Swimming Pool gallery (Sofia, Bulgaria). The exhibition consisted of installations created through the reuse of old newspapers – a concept that came to Christian during a conversation between himself and two other artists during a dinner at a Liverpool restaurant. While discussing current news and affairs, one of the artists mentioned that they had stopped following current news and affairs, due the fact that they tended to induce a state of anxiety on the both. 

The statement caused the artist to reflect upon the speed and ephemeral nature of news and information in our current reality – a thought that also reminded him of a fond memory from his childhood, when his mother taught him to build fires from old newspapers tied up in knots.

“The News” was conceived through a series of exchanges between the artist himself and Max Slaven, curador and director of the David Dale Gallery (Glasgow, Escócia) and Viktoria Draganova, director of the Swimming Pool (Sofia, Bulgaria), and marked the artist’s first solo exhibition in the country and is curated by the David Dale Gallery (Glasgow). 

For more information, see: 

Swimming Pool http://swimmingpoolprojects.org/projects/the-news/
David Dale  http://www.daviddalegallery.co.uk/programme/off-site-news/
Mousse Magazine  http://moussemagazine.it/toby-christian-swimming-pool-sofia-2017/
Art Viewer http://artviewer.org/toby-christian-at-swimming-pool/

 

14/11/2017

Almandrade participa da mostra Histórias da Sexualidade, no MASP

Desde os anos 1970, o artista, poeta e arquiteto Almandrade, pseudônimo de Antonio Luiz M. Andrade, tem produzido trabalhos inventivos e enigmáticos orientados pela estética conceitual e minimalista. Através da simplificação de formas e geometrias, o artista incorpora influências do neo-concretismo e poesia concreta em sua produção, criando uma investigação que aponta para a epistemologia construtivista, a forma como informação, a arquitetura dos signos e o poder da experimentação.

Com sua obra que caminha entre poesia, conceito e visual, entre forma e a palavra e o rigor espacial, a riqueza visual de sua proposta se faz presente na obras “Poema visual – sexos”, (2016), e “Poema visual – homeMulher”, (1974), atualmente expostos na mostra “Histórias da Sexualidade”, em cartaz no Masp desde o dia 20 de Outubro de 2017.

Concebida em 2015, com a curadoria de Adriano Pedrosa, diretor artístico do MASP, Lilia Schwarcz, curadora-adjunta de histórias do MASP, Pablo León de la Barra, curador-adjunto de arte latino-americana do MASP e Camila Bechelany, curadora assistente do MASP, a mostra reúne mais de 300 obras, organizadas em nove núcleos temáticos e não cronológicos, trazendo um recorte abrangente, estimulando um debate sobre a temática que sempre ocupou um lugar central tanto no imaginário coletivo quanto na produção artística em todo o mundo.

Também em 2017, o artista participou da exposição “A Intenção e o Gesto, homenagem a Sérvulo Esmeraldo”, realizada no MuBE no período entre 10 de agosto e 01 de outubro de 2017. Com curadoria de Marco Lontra, sendo parte do projeto Arte e Industria, a mostra reuniu trabalhos de Sérvulo e mais 10 artistas contemporâneos cujos trabalhos dialogassem com sua obra.

A mostra “Histórias da Sexualidade” fica em cartaz no MASP até o dia 14 de Fevereiro de 2018.

========================================================================================================================================

Almandrade joins “Histórias da Sexualidade” (Stories of Sexuality) exhibition at MASP

Since the 1970s, the artist, poet and architect Almandrade, pseudonym for the Bahia born Antonio Luiz M. Andrade, has produced innovative and enigmatic pieces, guided by conceptual and minimalistic aesthetics. By simplifying shapes and geometries, the artist embeds his production with influences from concrete poetry as well as the neoconcrete movement, creating an investigation which leans toward the constructivist epistemology, where shapes are the information, with the architecture of the signs, through the power of experimentation.

With his body of work that wanders between poetry, concept and visual, between word and spatial strictness, his visual richness makes itself visible on works like “Poema Visual – Sexos” (Visual Poem – Sexes(, 2016 and “Poema visual – homeMulher”, 1974 (Visual Poem – manWoman(, both of which are currently displayed at the “Histórias da Sexualidade” (Stories of Sexuality( exhibit, that is open for visitation since the 20th of October at the MASP museum.

Conceived in 2015, with curatorship by Adriano Pedrosa, MASP’s artistic director, Lila Schwarcz, adjunct curator for MASP’s stories department, Pablo León de la Barra, MASP’s adujct-curator of latin American art and Camila Bechelany, MASP’s assistant curator, the exhibit presents a total of 300 works, sorted in nine non-chronological themed groups, bringing forward a broad range of work, encouraging a debate regarding this particular theme, which always had an essential role on both collective imagery as well as artistic production all over the world.

Also in 2017, the artist joined a group of 10 Brazilian contemporary artists for the “A Intenção e o Gesto, homenagem a Sérvulo Esmeraldo” (Intention and gesture, a tribute to Sérvulo Esmeraldo)  exhibit, held between August 10th and October 01st at São Paulo’s MuBE. With curatorship by Marco Lontra, the show was part of the Art and Industry project and gathered works by Sérvulo alongside pieces of selected artists whose line work aligned with his proposal.

The “Histórias da Sexualidade” (Stories of Sexuality) exhibit will be open for visitation until February 14th, 2018,  at MASP.

04/11/2017

Lourival Cuquinha participa da Biennale Jogja Equator #4

A Biennale Jogja Equator #4 teve sua abertura oficial ao público no dia 02/11/2017. A edição deste ano, que elegeu o Brasil eleito como país parceiro, tem como seu tema principal o “Stage of Hopelessness” (ou estado de desesperança).  Dentre os artistas brasileiros selecionados pela curadoria, está Lourival Cuquinha, que participa com a obra “Less than one meaning”. O artista fala sobre sua obra abaixo.

WhatsApp Image 2017-11-04 at 08.00.26

 

“O fundo está todo baleado por uma 9mm e um Rifle AK47.
Os cartuchos usados estão no chão.
Na parede tem o vermelho da bandeira Indonésia em degradê até o preto petróleo que derrama no chão e se mistura com a cera do Batik tradicional Indonésio.
Duas garrafas de gasolina azul.
Tem cristais de bicarbonato de sódio no centro.
Tem um cartucho de bala de canhão da época colonial holandesa ali na esquina da sala.
Alguém de burka.
“Less Than One Meaning” (que é o nome da obra) é uma frase que está escrita várias vezes em Javanês , Indonésio, Inglês e Português.
Um quarto sujo.”

- Lourival Cuquinha -

Para mais informações sobre a Biennale Jogja Equator #4 - http://biennalejogja.org/2017/ 

 

21/10/2017

Tulio Pinto realiza performance “Linhas”, no festival Ping, Rio de Janeiro, RJ

Acontece no final de semana dos dias 21 e 22 de outubro, a performance “Linhas”, do artista Túlio Pinto, no festival Ping, em Botafogo, Rio de Janeiro.

Lines | Kromhout Museum

Lines | Kromhout Museum

Realizado pela Cardápio de Ideias e ID Cultural, com curadoria e direção de Tathiana Lopes e direção executiva de Andre Carraro, o Ping propõe uma programação com uma série de palestras e múltiplas experiências através de atividades que estimulam a reflexão, experimentação, troca, sensibilidade, interação, colaboração, conhecimento, criatividade, transformação e interesse comum entre todas as idades.

Para saber mais sobre o festival, clique aqui.

29/08/2017

Túlio Pinto participa de exposição na Fundação Vera Chaves Barcellos, em Viamão, RS

Em setembro, entra em cartaz, na Fundação Vera Chaves Barcellos, a exposição Aã. A àrea externa, que já foi palco de performances e abriga uma obra de Antoni Muntadas, desta vez, será ocupada por diversas obras – algumas delas criadas exclusivamente para a exposição, estabelecendo uma viva interação entre arte e natureza.

Túlio Pinto | Athar 1 | Foto por Anderson Astor

Túlio Pinto | Athar 1 | Foto por Anderson Astor

Aã, expressão que dá titulo à mostra, refere-se ao equilíbrio de duas partes de uma fórmula. A concisão do título tem dupla função: almeja a ideia de síntese, ao mesmo tempo em que busca justapor, em equilíbrio, partes que parecem inicialmente opostas em um sistema: o peso e a leveza; o acaso e a ação consciente; a paisagem e a propriocepção; a clareza e a indefinição. Esta reflexão parte das indagações do duo de artistas Laura Cattani e Munir Klamt – que assinam como Ío –, ao desempenhar o papel de curadores.

Fotografias, litografias, vídeos, pinturas, objetos e instalações de artistas de diferentes gerações e nacionalidades integram Aã. A mostra articula obras do acervo da FVCB com elementos distintos, como peças trazidas de coleções particulares e museus, agentes do ecossistema que cerca a Fundação (cupins, pássaros), e alguns trabalhos desenvolvidos especialmente para a mostra.

Túlio Pinto | Athar 1 (detalhe) | Foto por Anderson Astor

Túlio Pinto | Athar 1 (detalhe) | Foto por Anderson Astor

Conforme os integrantes de Ío: “a proposta curatorial de Aã parte do Torus (ou Toro) – uma figura que corresponde a um espaço topológico homeomorfo ao produto de dois círculos, que funciona como se dobrássemos a realidade – como uma lâmina – e tornássemos conectados pontos que em um universo tridimensional fossem afastados. Conceitualmente, o Torus nos permite entender cada obra que compõe a exposição Aã, assim como a própria área em que esta está inserida, como pontos de passagem, alçapões ou trilhas que se conectam no agenciamento das ideias, no escasso uso cromático, na concisão e na pulsão das formas.”.

Data: Sábado, 02 de setembro de 2017.

Horário: das 11h às 17h

Onde: Fundação Vera Chaves Barcellos – Av. Senador Salgado Filho, 8450| Viamão/RS.

Clique aqui para mais informações.

NOTÍCIAS

2018

2017

2016

November

October

September

July

June

April

March

February

January

2015

December

November

October

September

August

June

May

April

March

January

2014

December

November

August

July

June