23/03/2019

Almandrade integra a exposição Abertura 1980 no Instituto Figueiredo Ferraz

 

04

Almandrade integra a exposição Abertura 1980, com curadoria de Rafael Vogt Maia Rosa, no Instituto Figueiredo Ferraz.

Abertura 1980:
Esse conjunto de obras produzidas em torno da década de 1980 foi selecionado de forma a valorizar o diálogo entre as peças e o aspecto que mais chamou a atenção: uma desenvoltura inédita no limiar dos suportes tradicionais. Pois, se na década de 1960, temos um ímpeto voltado ao corpo e uma disseminação consistente da arte conceitual que se estende à próxima década, nos anos de 1980, há uma adesão inesperada e convicta à pintura e à escultura, paralelamente às apropriações e ao uso intensivo da fotografia em uma dimensão que ia além de preocupações estritamente morfológicas. A abstração pura persiste, mas, justamente a figuração é que dá o tom dessa “abertura” no sentido de permitir a valorização de elementos congeniais de nossa cultura, às vezes até bem-humorados ou mais rebeldes, no lugar de uma tensão programática que responde a um único esquema geral para a arte brasileira.

Rafael Vogt Maia Rosa.

19/03/2019

Paulo Nenflídio realiza instalação Teia n2, no SESC São José dos Campos

unnamed (5)
unnamed (4)
unnamed (3)
O artista Paulo Nenflídio realiza instalação para o Festival de Aprender 2019 -FESTA, no SESC São José dos Campos. A instalação Teia n2 é sonora, interativa e toda vazada e transparente. Inspirada em conexões neurais, como um desenho tridimensional, a obra é composta de neurônios sonoros espacializados e acionados por sensores de proximidade. Toda eletrônica da obra permanece suspensa por fios de nylon esticados e sobrepostos, formando uma grande teia.
Em exposição até 28 de abril, no SESC São José dos Campos

De terça a sexta das 13h30 às 21h30 e aos sábados, domingos e feriados das 10h30 às 18h30.
Para mais informações acesse: https://www.sescsp.org.br/programacao/184270_TEIA+2

12/03/2019

Zhanna Kadyrova participará da Bienal de Veneza 2019

reprodução fotográfica de obra de arte / artwork reprodution.

 

Zhanna Kadyrova l Firewood l 2014 l Azulejo, espuma e cimento

Foto: Filipe Berndt

 

A artista ucraniana Zhanna Kadyrova integrará a 58‘ Bienal de Veneza, na Itália. Será a segunda vez que a artista participa da Bienal de Veneza.
A bienal ocorrerá de  11.05  à  24.11.2019. A exposição terá inicio a partir do Pavilhão Central (Giardini) ao Arsenale e, contará com 79 artistas de todo o mundo.

12/03/2019

Almandrade participa da exposição BERLINBAHIA

WhatsApp Image 2019-03-11 at 22.04.53

 

No dia 19 de março, o artista Almandrade integra a coletiva BELINBAHIA, no Museu de Arte da Bahia em Salvador – BA. A abertura será no dia 19, às 19h. A exposição ocorrerá até o dia 21 de abril.

07/03/2019

Fyodor Pavlov-Andreevich realiza performance durante o carnaval, no Rio de Janeiro

 

O artista Fyodor Pavlov-Andreevich realizou a performance Dickorders, or ‘Uh! É o golden shower’.Durante o carnaval no Rio de Janeiro (março, 2019).

 

_5D_2741

 

 

_5D_2846

 

 

Registro: Luis Felipe Romano.

27/02/2019

Maria Lynch realiza obra para o Baile do Sarongue

Especialmente para o dia 28 de fevereiro de 2019, o Baile do Sarongue contará com a presença do site especif desenvolvido pela artista Maria Lynch.

_MG_0029

 

_MG_0032_1

 

_MG_0047_1

 

Fotos: Victor Palatink

 

26/02/2019

Baró participa do ARCOMadrid 2019

WhatsApp Image 2019-02-23 at 16.26.36
Rasheed Araeen l Chaar Yaar I (four friends), 1968 l Foto: Jonathan Basset

Convidamos a todos para a ARCOMadrid 2019 – que ocorrerá dos dias 27 de fevereiro a 3 de março, no Stand 9E10, Main Section.
Nesta edição, o projeto especial é de Rasheed Araeen. E os artistas Daniel Arsham, Asdrúbal Colmenarez, Elias Crespin, Octavio Herrera, Eduardo Kac, Oscar Abraham Pabón, Tulio Pinto, Pepe López Reus, Pablo Reinoso, Nicolas Schöffer, Jorge Francisco Soto e Santiago Torres integram nosso stand.

11-f-nicolasschoffer2kicsi
Nicolas Schöffer l Spatiodynamique, 1969 l

16/02/2019

Erwin Olaf terá exposição dupla no Gemeentmuseum e no Museu de Fotografia de Haia

Palm Springs_The Family Visit - Portrait I_2018

 

Erwin Olaf l The family visit l fotografia l 2018

 

Do dia 16 de fevereiro à 12 de maio, o artista Erwin Olaf  terá exposição dupla por parte dos museus Gemeentemuseu Den Hang e o Museu de Fotografia de Haia.  O Museu de Fotografia de Haia se concentrará no amor de Olaf por seu ofício e sua transição do fotojornalista analógico para o criador de imagens digitais e contador de histórias. Olaf reunirá cerca de vinte fotografias de fotógrafos famosos que foram sua  fonte vital de inspiração.
E o Gemeentemuseum Den Haag mostrará o trabalho não-comissionado de Olaf de 2000 a sua mais recente série, incluindo o trabalho que ele produziu em Xangai e sua mais recente série Palm Springs, em exibição pela primeira vez. Olaf mostrará sua fotografia na forma de instalações, em combinação com filme, som e escultura.

 

Keyhole_Keyhole 6_2012 (2)

Keyhole l  Erwin Olaf l 2012

15/02/2019

César Brandão participa da exposição permanente Cuidar da Vida é uma arte em Juiz de Fora – MG.

kronosunimed:  ata de criação / ato da criação
Pintura-objeto, 60 x 50 cm, 2018, César Brandão

album de figurinhas

Foto> Diego Brandão

césar brandão 28

O artista César Brandão é  um dos convidados da exposição Cuidar da Vida é uma arte, cuja abertura ocorrerá em 22/02/2019, na inauguração do Hospital Unimed Juiz de Fora, e comemoração de 45 anos de fundação da UNIMEDJF, em Juiz de Fora – MG.

Para a exposição, o artista desenvolveu um trabalho específico, intitulado kronosunimed que consiste numa pintura-objeto. Brandão procurou desenvolver uma relação entre o cronos (tempo), pensando a cronologia e história da Unimed na cidade e, junto  a isso, pensou também no próprio ato de criação dentro do âmbito das artes. Estabelecendo assim uma relação entre a ata de criação da UNIMEDJF e o ato de criação de um trabalho de arte. Após a exposição, a obra integrará a coleção de arte do hospital e estará exposta permanentemente.

Além disso, o artista publicou em seu site um texto sobre o processo criativo do trabalho: e realizou uma fala em vídeo, confira abaixo:

23/01/2019

Mapa do Meu Corpo’ de Fyodor Pavlov-Andreevich

eabd0ca2-466e-4991-8351-ecc1b43ec026

MAPA DO MEU CORPO

Desde seus primeiros trabalhos, Fyodor Pavlov-Andreevich explora a distância que separa o espectador do objeto no “live art” (arte ao vivo). A primeira dessas experiências fez parte de “Marina Abramovic Presents”, realizada em Manchester em 2009, onde Pavlov-Andreevich apresentou um trabalho de 21 dias, intitulado “My Mouth Is A Temple” (com curadoria de Hans Ulrich Obrist e Maria Balshaw). Outra tentativa de medir essa distância aconteceu no final de 2017, no SESC Consolação, em São Paulo, como parte do Carrossel Performático do Fyodor, produzido em colaboração com o Atelier Marko Brajovic, a Playtronica e Arto Lindsay, quando Pavlov-Andreevich apresentou sua nova série, Try Me On I’m Very You, usando seu corpo como um instrumento musical a ser tocado presencialmente pelo público.

Fyodor continua a diminuir essa distância e a estabelecer uma relação entre o público e o corpo do artista com seu novo trabalho, “O Mapa Do Meu Corpo”, comissionado pela galeria Baró em São Paulo, uma nova peça ao vivo de longa duração e mais uma colaboração frutífera com um dos parceiros “de crimes” mais antigos do artista, o arquiteto paulista Marko Brajovic e seu Atelier. Desde o ano 1997, com a sua primeira visita a Moscou, Brajovic começou o estudo sobre “arquitetura performática” da vanguarda construtivista russa, evoluindo o conceito da relação entre corpo e arquitetura em interfaces sensitivas, a serem exploradas pelo público.

Em “O Mapa Do Meu Corpo”, o corpo do artista se transforma em um objeto de acesso comum, um instrumento que troca as energias, intenções e intensidade humanas, capaz de receber desejos, emoções, pensamentos e intensidade, estando totalmente exposto ao que vir do lado dos espectadores. Assim, os visitantes são convidados a entrar no espaço da galeria, onde os espera uma instalação muito parecida com a famosa Casa Melnikov (1927-1929), uma das obras primas do construtivismo, residência clássica icônica da vanguarda russa da década de 1920. O prédio real, que inspirou tanto Brajovic quanto Pavlov-Andreevich desde seus anos escolares, é formada por um volume cilíndrico caleidoscópico de três andares com espaço suficiente para abrigar a família do arquiteto e seus ateliês de pintura e de arquitetura.

Desta vez, a estrutura arquitetural frágil (porque realizada em compensado), porém física, abrigará o corpo do artista, nu e vulnerável, e o visitante da galeria que entrará no espaço por sua conta e risco. Em pé na frente dele, cada visitante (um de cada vez) esta convidado a colocar uma das suas mãos em cima de uma determinada parte do corpo do artista. A cada parte do corpo corresponde uma história da própria vida do artista, narrada em voz alta por ele. Dependendo da qualidade, duração e força do toque do visitante, a história varia. Por exemplo, um toque mais forte e mais longo tornará a respectiva história mais profunda e íntima.

Os visitantes que preferirem ver e ouvir em vez de participar, serão convidados a se aproximar de uma das três cadeiras localizadas ao redor da instalação, e de olhar para a interação de cima, associando esse ato voyeurístico com o de um banheiro público, onde se olha para um cubículo vizinho de cima.

A performance será realizada apenas o dia 23 de janeiro de 2019, na Baró Jardins, rua da Consolação 3417, durante 5 horas, das 17h às 22h, e terá entrada franca.

NOTÍCIAS

2019

2018

November

October

September

May

March

2017

2016

November

October

September

July

June

April

March

February

January

2015

December

November

October

September

August

June

May

April

March

January

2014